Residência do Casal Oliveira no Okinawa em Paulínia - 2006/2007

Foto: Rafael OliveiraA fachada desta casa possui geometria de fácil compreensão, valorizando a exploração de cores e texturas em volumes expressivos e limpos, livres dos adornos que provocam a datação de uma obra.

Quando o casal procurou este arquiteto para fazer o projeto de sua futura casa, houve uma consulta preliminar sobre a aquisição do lote onde seria feita a construção. Não havia questionamentos sobre o loteamento fechado, um dos mais valorizados da cidade, mas um possível empecilho poderia criar dificuldades: tratava-se de uma fundação de concreto armado inacabada, cujos ferros expostos, de arranque para os pilares, estavam comprometidos.

Com a decisão de ignorar o projeto do antigo proprietário, proposto para lote - era para uma casa térrea e desejava-se um sobrado - foi necessário fazer um levantamento com medidas precisas do alicerce abandonado, antes de desenvolver uma proposta que atendesse às expectativas dos contratantes, procurando evitar ao máximo a coincidência de posição de paredes. Desta forma se economizaria tempo, dinheiro e trabalho braçal.

Croqui inicialMargem para imaginação: nesta perspectiva da fachada, os tons em grafite permitem a participação dos clientes do arquiteto na escolha das cores e do acabamento final.

Felizmente o trabalho se desenrolou sem problemas. O sobrado de apenas 159 m² quadrados - com dois dormitórios e banho social, além de uma suíte com closet e sacada no pavimento superior; sobre abrigo para dois veículos, lavabo, salas de estar e jantar conjugadas e servidas por uma varanda com vista para o quintal, além de cozinha, dispensa e lavanderia no pavimento térreo - permitiu ótimo aproveitamento dos pouco mais de 250 m² do terreno. Tanto que foi possível incorporar uma edícula de quase 30 m² - com churrasqueira, banho e depósito - no ano seguinte.

Planta das fundaçõesNa planta esquemática das fundações, as linhas verdes - do projeto para o sobrado - possuem poucos pontos de concorrência com as linhas vermelhas tracejadas - da antiga construção interrompida.

A constante preocupação do autor do projeto com os aspectos de conforto térmico e ambiental, resultou numa solução de ventilação cruzada no pavimento térreo, associada à ventilação por exaustão através de generosa esquadria localizada no corpo da escada e a adoção de grandes vãos de iluminação natural no pavimento superior. Tais conceitos encontraram a agradável resposta dos moradores da residência, verbalmente gratos com a realização de um sonho.

2 comentários:

  1. Mariana Schneider04/07/2009 19:19

    Gostei muito da casa, e gostaria de ver o projeto da parte superior. Obrigada!

    ResponderExcluir
  2. Prezada Mariana, o projeto completo está no arquivo do escritório deste arquiteto, cujo contato está disponível no menu principal.

    ResponderExcluir