A casa conceito: ideias para construir em novos tempos

Residência e escritório do arquiteto Jean Tosetto em Paulínia desde novembro de 2009.
Residência e escritório do arquiteto Jean Tosetto em Paulínia desde novembro de 2009.


A expressão "construir mais com menos" tem se disseminado no mercado imobiliário. Mesmo com a diversidade de recursos disponíveis para o investimento na casa própria, seja por meio de financiamento, seja  por consórcio ou poupança, o fato é que ninguém está disposto a rasgar dinheiro na hora de construir. É preciso racionalizar. Mas uma construção moderna não deve ser apenas econômica, ela deve englobar também outros conceitos que fazem dela um reflexo da nossa contemporaneidade, o que implica em pensar na acessibilidade universal e no respeito ao meio ambiente.

Nem toda novidade é bem aceita sem um modelo de referência, e muitas vezes o arquiteto se vê tolhido em fazer experiências com o investimento de terceiros. Então, quando ele tem a oportunidade de construir para si mesmo, temos uma ótima chance de vê-lo "arriscar" seu próprio dinheiro em idéias que ele acredita, baseado em suas pesquisas e planejamento. Melhor ainda se ele resolve compartilhar seu aprendizado na prática, especialmente quando o resultado é altamente positivo. Esta é a tônica do que você está prestes a ler.

Para construir mais com menos, o primeiro passo é procurar por um arquiteto ou engenheiro civil. A conta do projeto não pode ser colocada na pasta das despesas, mas na pasta dos investimentos. O profissional habilitado para realizar projetos e ser responsável técnico por obras, sabe interpretar as leis e restrições construtivas do local e portanto evita prejuízos com regularizações no futuro. Além do mais, para cada real investido no detalhamento do projeto arquitetônico - seja nas instalações hidráulicas e elétricas, seja no planejamento estrutural, seja no orçamento de materiais e cronograma físico e financeiro - pode haver até vinte reais de economia, dependendo do montante da obra. Impressionante, não? Mas basta fazer os cálculos.

Croquis em guardanapos: boas idéias podem ocorrer a qualquer hora.
Croquis em guardanapos: boas idéias podem ocorrer a qualquer hora.

Versão definitiva do projeto desenhada em CAD
Versão definitiva do projeto desenhada em CAD.

Um ambiente. Dois usos. Garagem durante a semana e área de lazer aos domingos.
Um ambiente. Dois usos. Garagem durante a semana e área de lazer aos domingos.

No caso da residência abordada neste artigo, que também comporta um escritório, o projeto foi desenvolvido sem pressa. Semanas foram consumidas para a racionalização dos espaços, diminuição das áreas de circulação interna e aplicação do uso concomitante dos cômodos. A garagem, por exemplo, foi deslocada para a rua lateral da esquina. Com isso, ela também serve de área de lazer, pois conta com uma churrasqueira e pia externa. Esta decisão gerou uma economia de mais de 25m² na área total da obra, que multiplicados pelo valor médio do custo por m², equivalem à compra de um carro popular zero km!

Preparação para concretagem da laje de fundação: instalações hidrossanitárias envoltas de pedras contornadas por tabeira de madeira.
Preparação para concretagem da laje de fundação: instalações hidrossanitárias envoltas de pedras contornadas por tabeira de madeira.

Por se tratar de uma edificação térrea, foi possível adotar o radier na fundação, que consiste numa espécie de laje de concreto armado que atua ao mesmo tempo como contrapiso dos cômodos, eliminando as perfurações de estacas e vigas baldrames, bem como a alvenaria de nivelamento do alicerce e sua impermeabilização.

Tela soldada sobre a lona que isola a camada de brita do concreto: função impermeabilizante.
Tela soldada sobre a lona que isola a camada de brita do concreto: função impermeabilizante.

Para tanto, é preciso ter um terreno bem aplainado e tomar alguns cuidados, como prever toda a instalação de esgoto sanitário e alimentações de água e luz. Sobre o solo bem compactado é aplicada uma camada de brita protegida pela lona plástica, que recebe posteriormente as telas soldadas e o concreto usinado, demarcado por tabeiras de madeira. Após um breve período de secagem, o concreto sofre cortes superficiais de serra, cujos vincos criados atuam como juntas de dilatação que evitam as trincas por exposição ao sol.

Radier: concreto usinado sobre tela de metal e lona plástica.
Radier: concreto usinado sobre tela de metal e lona plástica.

As juntas de dilatação são essenciais para preservar o radier.
As juntas de dilatação são essenciais para preservar o radier.

As paredes são de alvenaria estrutural composta por blocos cerâmicos perfurados.
As paredes são de alvenaria estrutural composta por blocos cerâmicos perfurados.

Para levantar as paredes, a opção foi pela alvenaria estrutural, com o uso de blocos cerâmicos modulados. Esta técnica já é bem conhecida nos canteiros de obras, pela economia de formas de pilares e vigas, ferros estribados, bem como agilidade e limpeza da construção, com menor geração de entulhos. Tal escolha exige que as instalações hidráulicas e elétricas sigam juntas com o assentamento dos blocos. Há também o lado negativo desta técnica, quando se pensa numa eventual reforma do imóvel. Neste caso, não é possível a derrubada de paredes ou abertura de grandes vãos para comunicar os compartimentos.

O peitoril das janelas foi aumentado, em média, 20 cm. Já o pé-direito da casa foi reduzido na mesma medida, mas respeitando o mínimo exigido pelas posturas locais. Esta solução, além de favorecer a troca de ar dos ambientes - por evitar o "efeito piscina de ar quente" no teto - eliminou uma percinta de concreto das paredes, já que a percinta que respalda as janelas é a mesma que recebe a laje.

A propósito, a laje eleita para esta obra foi a do tipo protendida. Isoladamente, ela tende a ser mais cara que a tradicional laje treliçada. Porém, ela consome menos escoramentos e menos concreto usinado em sua capa, justificando o seu uso. Como a firma da laje em questão também fabricava as lajotas de concreto, a compra à vista de todo o conjunto ficou mais barata, pois usualmente tais empresas compram lajotas cerâmicas de outros fornecedores, diminuindo suas margens de desconto.

Os conduítes da fiação elétrica devem seguir um projeto específico.
Os conduítes da fiação elétrica devem seguir um projeto específico.

Chegamos na cobertura. O projeto previa telhado metálico embutido. Mesmo assim, um orçamento para telhado cerâmico sobre madeiramento exposto foi estudado. A conclusão: o sistema mais antigo é 30% mais caro, pois exige a contratação independente de um calheiro - profissional que foi dispensado pois a serralheria que executou a cobertura entregou o serviço já com as calhas das águas pluviais. As cumeeiras das platibandas e muros receberam placas de concreto pré-moldado no lugar de rufos metálicos, gerando economia de mais de 60% neste item.

Para evitar o aquecimento interno da residência, as telhas metálicas foram pintadas de branco e suspensas em relação à laje, de 80 a 100 cm de distância, conformando um colchão de ar que atua como isolante termo-acústico muito eficiente - e gratuito.

Todas as esquadrias para fechamento da obra, e circulação interna, foram especificadas pelos padrões mais aceitos no mercado. Nenhuma peça foi encomendada. A pesquisa de preços para portas e janelas foi fundamental para efetuar uma compra eficiente. Surpreendentemente, uma diferença de mais de 50% foi identificada entre o orçamento mais caro e o mais barato, nas grandes lojas num raio de até 50 km da obra.

Internamente, as paredes e os tetos de cada compartimento foram revestidos com gesso, exceto nos cômodos úmidos, que receberam azulejos brancos retangulares, cuja textura orgânica nunca sai de moda. No lugar de pesadas sancas de gesso que acumulam poeira e fissuram com facilidade, o topo das paredes recebeu duas golas de gesso separadas uma da outra, cujo miolo foi pintado numa cor diferente. Pelo valor do material e da mão de obra do gesso, não seria possível sequer pagar pela mão de obra para o reboco convencional.

Em destaque a chaminé do exaustor da cozinha, sobre um nicho de armário externo e abrigo dos botijões de gás.
Em destaque a chaminé do exaustor da cozinha, sobre um nicho de armário externo e abrigo dos botijões de gás.

As paredes externas também não foram rebocadas. Elas foram jateadas com massa texturizada, tingidas na origem, dispensando inclusive a pintura posterior, uma vez que não desbotam. No entanto, este material é sensível à ação das chuvas, e se não receber uma película de material transparente hidrofugante, tende a pretejar, deixando as paredes com um aspecto de envelhecimento precoce.

Em função da acessibilidade universal idealizada no projeto, a casa não conta com degraus. Este conceito permitiu a compra de um só tipo de piso cerâmico para todos as repartições, abolindo a soleira nas portas internas, cuja paginação em diagonal dá a impressão de maior tamanho para cada compartimento, além da melhor integração entre eles, pelo efeito do espaço contínuo.

A pavimentação externa, inclusive da calçada pública, foi resumida ao concreto vassourado - e por isso mesmo antiderrapante - intercalado por juntas de dilatação. Trata-se de um produto de fácil aplicação e de baixo custo de manutenção, além de combinar perfeitamente com o gramado, que por enquanto faz as vezes do paisagismo. Com o tempo, e com o bom senso, algumas mudas de plantas exóticas vão sendo locadas no jardim, uma vez que árvores nativas não podem ser removidas no futuro.

A tela de fechamento de parte do lote confere visão para a janela da sala: os ladrões preferem casas escondidas atrás de muros altos, onde não serão vistos da rua em seus atos.
A tela de fechamento de parte do lote confere visão para a janela da sala: os ladrões preferem casas escondidas atrás de muros altos, onde não serão vistos da rua em seus atos.

Os muros externos foram erguidos com blocos de concreto aparente, sem pintura. O que é muito eficiente em caso de pichações indesejadas: basta passar solvente de tinta que em segundos não há vestígio da brincadeira de mau gosto. A tela que complementa o fechamento do lote foi comprada na mesma empresa que cerca grandes shoppings e escolas da região. Ela foi entregue, instalada e pintada, no local da obra - seu desenho simples e discreto não compete com a fachada do imóvel.

Cabe lembrar que esta obra possui tubulação adequada para a futura instalação de aquecedor solar da água. A economia que esse sistema oferece nas contas de energia são da ordem de 30%, o que ainda não é suficiente para que o equipamento se pague em menos de dez anos, ao contrário do que é apregoado nas reportagens sobre o tema.

Cascata artificial: a água bombeada da chuva, armazenada em caixa específica sobre a laje de cobertura, alimenta o vaso de captação na fachada do imóvel.
Cascata artificial: a água bombeada da chuva, armazenada em caixa específica sobre a laje de cobertura, alimenta o vaso de captação na fachada do imóvel.

Para finalizar, a cereja no bolo desta casa responde pelo sistema artesanal de captação de água de chuva, criado especialmente para ela. Sobre a entrada social, uma calha aberta deixa cair a água num grande vaso decorado com pedras filetadas verticais. Um ralo escondido nos seixos rolados leva a água para o ramal que também capta a chuva dos outros condutores, e alimenta uma caixa de concreto com chicanes para barrar as folhas e as partículas de poeira lavada do telhado, de modo que apenas água chega à cisterna composta de anéis de zimbra impermeabilizados.

O pergolado é também um redário, camuflando as chicanes e a cisterna da água da chuva, enterradas no recuo frontal da construção.
O pergolado é também um redário, camuflando as chicanes e a cisterna da água da chuva, enterradas no recuo frontal da construção.

Tal cisterna fica escondida sob o deck do pergolado e tem capacidade para armazenar até 4 mil litros de água. Um bomba de meio cavalo de potência leva esta água para um segundo reservatório sobre a laje, cuja bóia foi suprimida e o ladrão foi conectado à calha sobre a entrada social, completando o ciclo e harmonizando o ambiente, bastante acolhedor para o visitante. Além disso, a água de chuva captada alimenta torneiras no jardim e no quintal, para limpeza de calçada, rega da grama e lavagem dos carros. Se, ao invés do sistema artesanal, fosse adotado o sistema industrializado oferecido no mercado, o custo seria simplesmente dez vezes maior!

Muitos outros aspectos poderiam ser abordados por ora, mas seria necessário escrever praticamente um livro para discutir cada pormenor desta construção, que certamente não é a maior do bairro e tão pouco a mais chamativa, mas foi concluída sem sobressaltos e sem endividamento. Obviamente, nem tudo pode ser medido apenas pela ótica do valores monetários, por isso, o prazer e o aconchego que ela oferece aos seus moradores, é difícil de ser comensurado - sabe-se apenas que esta equação é bastante positiva.

A casa ficou pronta, mas os projetos continuam.
A casa ficou pronta, mas os projetos continuam.
O imóvel após pintura realizada em janeiro de 2015.
O imóvel após pintura realizada em janeiro de 2015.


Veja também:

Inclusão via desenho universal (com mais fotos da casa conceito)




Nota: este artigo recebeu acréscimo de informações em abril de 2017.

22 comentários:

  1. Muito bem criada, visando a eficiência e excelente reutilização dos recursos naturais.
    Isso sim e visão do presente e do futuro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grato, W. Souza, as boas ideias estão aí. É preciso divulgá-las.

      Excluir
  2. Gostei muito do seu artigo, e ainda aumentei meus conhecimentos, achei lindo e necessário aproveitar a água da chuva.
    Parabéns.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Francisglei, a água da chuva é de graça, não paga conta mensal e sequer imposto. Talvez por isso não exista incentivo governamental para aproveitá-la onde não há seca.

      Excluir
  3. JEAN, TENHO UMA CASA QUE JA TEM LAJE, GOSTARIA DE SABER DE VC SE TEM COMO EU FAZER O SEU TELHADO FICAR EMBUTIDO POR PLATIBANDA?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Isabela, se a sua casa tem laje, teoricamente ela está apta a receber telhado embutido e platibandas. Mas não faça qualquer serviço na obra sem a supervisão de um engenheiro ou arquiteto.

      Excluir
  4. JEAN A SUBSTITUIÇÃO DO ANTIGO ALICERCE POR ESTE TIPO DE CONCRETO É SEGURO?POIS MEU PAI DESEJA CONSTRUIR UMA NOVA CASA USANDO JUSTAMENTE ESTE TIPO DE PROJETO MAS ME PREOCUPO MUITO COM A SEGURANÇA, TENHO MEDO DE UMA FRAGILIDADE DIANTE DOS NOVOS TEMPOS COM CHUVAS E VENTOS MUITO FORTES!!!!OBRIGADA PELO SITE

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, o radier como alicerce é perfeitamente seguro desde que corretamente dimensionado. Conte sempre com um arquiteto ou engenheiro antes de construir pois este profissional será o responsável técnico pelo projeto.

      Excluir
  5. Olá Jean,será que posso substituir a tela soldada por uma fibra sintética(polímero) misturado ao concreto no caso de casas populares leves.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, esse polímero precisaria ter rigidez e resistência à tração igual ou superior ao aço, e neste caso seria mais caro que o mesmo.

      Excluir
  6. jean faço arquitetura já ,e estou precisando da sua ajuda , minha professora passou um trablho sobre coberturas~:tipos de telhados e tesouras pra pegar 5 projetos mais n estou conseguindo achar ,conseguir so um em seu site de uma cada com tesouras de madeira mais gostaria q vc me ajudasse se vc tiver algum projeto co relação ao meu trabalho poderia enviar pro meu email:karinaduda47@gmail.com ajuda aii

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Karina, você terá dificuldades para encontrar projetos profissionais completos na Internet por uma simples razão: eles são entregues somente para os contratantes.
      Você pode pesquisar vários projetos interessantes no acervo da Revista Acrópole: http://www.acropole.fau.usp.br/ - cujo licenciamento permite o compartilhamento de conteúdo desde que não haja uso comercial.

      Excluir
  7. Incrível seu trabalho Jean! Parabéns! É bem explícita a paixão com que realiza seu trabalho! Qdo crescer quero ser como vc...rsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Gisele, pelas palavras de incentivo. As vezes me pergunto se vale a pena expor minhas ideias e fico feliz quando leio um comentário como o seu.

      Excluir
  8. Parabéns pelo desenvolvimento e materialização da ideia de racionalização de materiais para fabricação e utilização de recursos. Mostrou-se altamente eficaz e completamente viável, pois utiliza o que há disponível no mercado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grato, Emerson Panaro. Você tocou num aspecto importante: a viabilidade de uma proposta que esteja ao alcance de todos, ao invés de ser um delírio utópico. Abraço!

      Excluir
  9. Sei nem o que dizer...
    Projeto eficiente, delicado , sustentável e econômico.
    Parabéns!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grato pelas palavras. Sucesso para você!

      Excluir
  10. olá! sou estudante de arquitetura, e fiquei muito feliz ao ler seu artigo. Lindo trabalho, aplicando com inteligencia o dinheiro, escolhendo materiais e soluções certos para o fim, sem condenar a funcionalidade, estética, pelo contrário, resolveu muito bem! exemplo do que é arquitetura! Obrigado por compartilhar! abraçoos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Mauricio, fico feliz em saber que meus projetos, minha própria casa e meus textos sirvam de referências para os mais jovens e estudantes como você. Meu desejo sincero é que você se torne um grande arquiteto e que não perca o entusiasmo pela profissão. A sociedade só tem a ganhar com isso. Grande abraço!

      Excluir