XV anos de Arquitetura

Detalhe de carteira de identidade profissional.
Detalhe de carteira de identidade profissional.

Será que é possível determinar uma data específica para apontar quando alguém se torna um arquiteto? A data no diploma - 22 de janeiro de 1999 -  indica que estou completando 15 anos de carreira. No entanto, meu primeiro formulário de ART - Anotação de Responsabilidade Técnica - foi registrado seis dias depois. Na época, o órgão que fiscalizava a profissão de arquiteto era o CREA - Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia.

Quando fui pagar a referida ART no banco, o caixa perguntou quem era o arquiteto Jean Tosetto, que ele não conhecia (não estranhe: em cidades pequenas isso acontece). Perguntou se eu era office-boy e ficou surpreso quando respondi que era o próprio Jean. Com quase 23 anos de idade, ainda parecia um adolescente: magrelo, de barba rala, com algumas espinhas na cara.

Se valer a data de criação do CAU - Conselho de Arquitetura e Urbanismo - então sou arquiteto e urbanista desde 31 de dezembro de 2010, há pouco mais de três anos. Só que não...

Apresentei meu TGI - Trabalho de Graduação Interdisciplinar - em novembro de 1998. Nem lembro a data exata. Também não lembro o dia exato em que fui pela primeira vez à sala de aula no Campus I da PUC de Campinas: foi entre janeiro e fevereiro de 1994, pois não tinha sequer 18 anos de idade - e por aí eu já seria arquiteto, pelo menos na intenção, há quase 20 anos.

Neste caso valeria também a data de aprovação no vestibular? E o dia em que resolvi que concorreria a uma vaga na Arquitetura?

Por essas e outras, não dou muita bola para efemérides, mas devo reconhecer que alguns marcos de referência são importantes para provocar um pouco de reflexão.

Se já não sou um recém formado, lutando por um espaço no mercado de trabalho, ainda não me dou o direito de falar como veterano. Ainda estou buscando meu lugar, com a vantagem de contar com uma experiência considerável.

Lembro muito bem de quando acompanhei a concretagem do alicerce da primeira casa que projetei. Um senhor estacionou o carro em frente à obra e perguntou para o empreiteiro se ele conhecia algum arquiteto ou engenheiro, pois era de outra cidade e não conhecia ninguém em Paulínia. O empreiteiro apontou na minha direção e ali mesmo fechei um acordo verbal para desenvolver o segundo projeto.

Está aí a chave do mistério: não é uma data ou um documento que diz que alguém se tornou um arquiteto. Arquiteto é aquele que é reconhecido como tal, pelos seus projetos, por suas visitas nas construções e pelas obras concluídas.

Aos 15 anos de carreira formal, meu desejo é continuar atuando com a seriedade e o afinco que sempre dediquei às pessoas que depositaram seus votos de confiança em meu trabalho, e deste modo continuar merecendo ser reconhecido com um arquiteto.

Saudações cordiais,
Jean Tosetto

Veja também:


2 comentários:

  1. Jean.
    Primeiro, parabéns. A data da formatura deve ser comemorada pela importância que ela tem. Ela representa o momento em que você completou a transição entre a intenção e a certeza de que você seria um Arquiteto. Mas a carreira (isso é o que eu ensino aos meus alunos) começa no primeiro dia de aula na Faculdade. Porque é a partir daí (dessa data) que as suas escolhas e decisões começam a surtir efeitos e consequências. O dia exato em que você se tornou um arquiteto é um mistério. Mas você provavelmente sabe. Como todos nós sabemos qual foi a sensação da primeira paixão ou do momento em que identificamos a nossa própria personalidade. Parabéns, mais uma vez.

    ResponderExcluir
  2. Caro Ênio Padilha,
    Obrigado pelo comentário - é uma honra ter você como visitante em meu site.
    Recebo mensagens de muitos jovens que desejam se tornar arquitetos um dia, e tão importante quanto se tornar um arquiteto profissional, é manter-se ativo e útil para a sociedade.
    Sinto que o caminho adiante é ainda é muito longo, e é bom seguir nele com o incentivo das pessoas de bem.
    Abraços!

    ResponderExcluir